Artigos e Dicas

Espelho, espelho meu

A gente aprende desde pequenos a amar o próximo, mas raramente somos estimulados a nos amar. Afinal, autoconfiança é frequentemente confundida com arrogância, qualidade nem um pouco desejável. O problema é que quem não acredita em si não compartilha suas ideias e dificilmente será capaz de enfrentar os desafios da vida e buscar a felicidade.

Muitas pessoas acreditam que uma mudança na aparência irá surtir efeito, mas nem sempre é assim. Um estudo realizado pela Universidade da Flórida, nos Estados Unidos, mostrou que mulheres que colocaram silicone nos seios tiveram um aumento da autoestima em relação à sexualidade, mas não se sentiram mais confiantes profissional ou emocionalmente.

Mas como é possível melhorar a autoestima? Separamos algumas dicas que podem ajudar nesse processo:

-       O primeiro passo é identificar o que a incomoda, trabalhando os pontos fracos.

-       Estabeleça objetivos tangíveis. Busque ser a melhor versão de si mesma e não fique se comparando com os outros.

-       Preste atenção nos seus pontos positivos e valorize-os.

-       Seja flexível. Encarar os problemas com leveza evita frustrações.

Passar semanas (e até anos!) sem se olhar no espelho foi a maneira que algumas blogueiras norte-americanas encontraram de lutar contra a preocupação excessiva com o corpo. Kjerstin Gruys, do blog "Mirror Mirror... Off the Wall", ficou 1 ano “de jejum” e chegou a escolher seu próprio vestido de noiva sem se olhar no espelho . A atitude é radical, mas nos convida para uma reflexão bastante pertinente: quanto deixamos a aparência interferir na autoestima feminina?